Dor crônica x frio


Ao longo de toda a vida os pets podem desenvolver problemas de saúde capazes de gerar inúmeros tipos de dores crônicas. Esses incômodos persistentes são causados por inflamações ou disfunções dos nervos e podem durar semanas, ou até mesmo anos. Quando presentes, justificam sempre o acompanhamento periódico pelo veterinário, para garantir a qualidade de vida e controle da dor.


Mesmo nos casos em que as dores crônicas são constantes e permanentes, a exposição ao frio e às baixas temperaturas podem acabar piorando ainda mais o quadro do animal. Não é à toa que no inverno os consultórios clínicos e pronto atendimentos mais que dobram os casos usuais. É neste momento que o dono de pet com essa patologia precisa ficar atento.


Em época de frio, a sensação dolorosa se agrava de forma intensa. Caso o seu animal tenha histórico de doenças como: osteoartrites e artroses, doenças de discos intervertebrais da coluna dorsal; fraturas ósseas e luxações articulares; existe uma grande probabilidade de ele estar sofrendo com o frio. Para identificar se este é mesmo o caso, fique atento aos sinais:


1 – Posturas diferentes do usual; se deitar ou se sentar de forma peculiar, se encolhendo ou caindo para um dos lados.


2- Diminuição de atividades físicas; opta por se manter deitado por mais tempo, mesmo estando acordado.


3- Mudança na forma de andar; mancando ou não encostando uma das patinhas no chão.


4- Dificuldade ao se levantar; após um longo período em repouso, se levanta de forma mais lenta.


5- Respiração ofegante; sem nenhum motivo aparente ou cansaço por atividade física.


Depois de diagnosticada, as dores crônicas podem ser tratadas com medicamentos, fisioterapia, acupuntura, estimulação elétrica, ozonioterapia e, em alguns casos, cirurgias. Veja algumas alternativas para evitar piora nos dias mais frios.


- Controle do peso do seu pet – Animais que sofrem desses incômodos devem sempre se manter em um peso saudável. O esforço por um corpo obeso, por exemplo, pode piorar as dores que já são constantes e muito incômodas.


- Roupas e cobertores – Mantenha seu melhor amigo sempre agasalhado. Os animais que transitam por toda a casa, quintal ou varanda estão mais expostos ao frio. As roupinhas fazem o papel de mantê-los sempre quentinhos.


- Observe a temperatura do ambiente – Mantenha seu pet em lugares com temperaturas mais confortáveis, como salas e ambientes fechados. Principalmente durante as horas mais frias do dia, como noite e madrugada.


- Nada de tomar vento – Opte por passear com o seu pet nos horários de maior aparição de sol, como na hora do almoço e início da tarde. Não deixe que ele fique exposto a friagens e correntes de vento.



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
410199-PD8Q59-641.png