Fratura de Coluna em Cães – Processos de Recuperação

Por rede Fisio Care


As fraturas de coluna em cães, infelizmente, não são incomuns no mundo pet. Na maioria dos casos são causadas por destruições traumáticas ou patologias que afetam a estrutura óssea e os tecidos de suporte da coluna vertebral do pet.


A grande maioria das fraturas de coluna em cães têm indicação cirúrgica imediata e o uso de técnicas de fisioterapia veterinária, que devem começar 1 semana após a cirurgia realizada.


Quais os principais sinais clínicos de que o pet tem uma fratura de coluna?


Nas fraturas de coluna caninas é danificado não só osso das vértebras e ligamentos, como também pode ser danificado a estrutura da medula espinhal. Os principais sinais clínicos incluem:

  • Paresia ou paralisia dos membros (torácico, pélvico, ou todos de uma vez);

  • Ausência de movimentos voluntários dos membros;

  • Deformação da coluna vertebral;

  • Dor intensa;

  • Falta de controle de micção e fezes;

  • Redução da sensibilidade das extremidades, ou a falta dela denominada perda da dor profunda.


Como é feito o diagnóstico?


O diagnóstico para fraturas de coluna em cães se baseia na anamnese, que é a análise completa do histórico médico do pet, que ajudará no diagnóstico mais assertivo e, consequentemente, no planejamento mais eficaz de recuperação.


A avaliação feita por um neurologista através dos sinais clínicos agudos e o resultado dos exames de imagem e instrumentais, tais como radiografia, mielografia, análises laboratoriais do líquido cefalorraquidiano, tomografia computadorizada ou ressonância magnética também são importantes para a avaliação dentro do diagnóstico.


Como é feito o processo cirúrgico?


A cirurgia para fraturas da coluna canina é dirigida principalmente para a descompressão medular e estabilização das vértebras. O reposicionamento das vértebras deslocadas fornece o diâmetro adequado para a recuperação do canal espinhal.


É importante ressaltar que, independente do tratamento escolhido, seja ele conservador ou cirúrgico (indicado na maioria dos casos), estes serão sempre combinado com outras medidas de reabilitação, principalmente a fisioterapia veterinária.


A importância da fisioterapia veterinária para cães com fraturas de coluna


Cães com fratura de coluna são pacientes frequentes nas clínicas de reabilitação animal, sendo os casos de atropelamentos com lesões na região tóraco-lombar os mais corriqueiros. A cirurgia é indicada na maioria dos casos, mas são as ações pós-cirúrgicas que devem ser acompanhadas com atenção e carinho pelos tutores.


A fisioterapia veterinária pós-cirúrgica é iniciada com a utilização de alguns agentes físicos para o controle da dor e auxílio na desinflamação do local, ajudando no ganho de massa e tônus muscular e, principalmente, na aceleração da regeneração neurológica.


Após a estabilização completa da cirurgia e os primeiros passos de reabilitação através dos agentes físicos, começam-se então os exercícios de movimentação. O uso de esteira aquática (hidroterapia) é fundamental para o completo processo de recuperação de cães com fraturas de coluna.


As esteiras aquáticas são perfeitas para a reabilitação física de cães, principalmente pelo fato da técnica diminuir a carga de peso na coluna do pet em até 60%, devido ao fator flutuante do animal submerso dentro d’água.


Mesmo os cães que tiveram a completa ruptura da medula, seja por atropelamento ou alguma outra patologia grave, possuem chances de voltar a andar através do desenvolvimento do andar medular, quando acompanhados de perto nessa fase pós-cirúrgica.

12 visualizações

©2020 por Giovanna Perdomo de Castro Paulo

Todos os direitos reservados

  • Branco Facebook Ícone
  • White Instagram Icon
  • Branca ícone do YouTube

Instituto Cãodeirante