Incontinência urinária em Pets Idosos


A incontinência urinária é muito comum tanto para os animais quanto para os humanos, principalmente na fase idosa. Seja pelo aparecimento de outras doenças ou pelo passar do tempo, fica mais difícil controlar a própria bexiga, o que acaba causando escapes e aquele famoso xixi no lugar errado. Nessas horas é importante entender por que isso acontece, como prevenir e principalmente compreender o sistema do seu pet.


Essa incontinência acontece, maioritariamente, devido a falhas no armazenamento da urina durante a fase de enchimento vesical. Em alguns animais, particularmente aqueles com doenças congênitas, múltiplos mecanismos poderão contribuir para a incontinência. Ela poderá ter origem numa patologia congênita ou poderá ser adquirida por problemas neurogênicos ou não-neurogênicos. Outros fatores como: infecção urinária, cálculo renal, hérnia de disco, efeito colateral de algum medicamento ou lesão ou degeneração na coluna vertebral, também podem ser propulsores de incontinência.


No caso dos pets cadeirantes, lesões nos nervos prejudicam o controle nervoso voluntário e o reflexo da micção deixam de existir. A tonicidade uretral também se perde e ocorre incontinência urinária por transbordamento, devido ao constante armazenamento da urina, sem existir uma ação de expulsão. Nesta situação, pode ser observada uma bexiga compatível com uma lesão do neurônio motor inferior. Com o nervo podendo estar, muitas vezes, igualmente afetado, o tônus do esfíncter uretral também será reduzido. Isto manifesta-se através da incapacidade de urinar e em incontinência por transbordamento constante.


Depois de detectada a patologia no animal, há algumas alternativas que podem ser utilizadas para amenizar ou ajudar no tratamento da incontinência. Inicialmente, é preciso ter o diagnóstico correto, detectando a principal causa dessa patologia. A partir daí, converse com o veterinário do seu pet e entenda as opções. Existem alternativas homeopáticas e de medicinas complementares que não causam desconforto para o animal e trazem uma melhora significativa na qualidade de vida. Em último caso, também há cirurgias que resolvem essa incontinência.


Para entender se o seu cachorrinho realmente passa por esse problema é necessário ficar de olho em alguns sinais como gotejamento da urina e o fato de o cachorro lamber constantemente a região da vulva e do pênis. Outra dica é ficar de olho na caminha do animal e nos lugares onde ele mais gosta de ficar, para ter certeza de que não há urina. Pets não costumam fazer xixi no mesmo ambiente onde dormem e, caso isso aconteça, é importante acionar o seu veterinário de confiança.


É justamente nessa fase, com o avanço da idade, que muitos tutores e pets passam por mudanças em suas relações. Não entender que agora ele tem um novo ritmo e necessita de outros cuidados, muitas vezes faz com que tutores abandonem ou optem pela eutanásia. Um estudo realizado numa associação de resgate animal, com o propósito de avaliar as principais causas de abandono de animais de companhia concluiu que, em cães, os animais urinarem ou defecarem em casa era a causa única para 9,5% dos abandonos, e a principal causa em 18,5% dos casos em que a razão para o abandono era multifatorial.


5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo